Técnicas de brainstorming

CompartilheShare on Facebook0Tweet about this on TwitterEmail this to someone

Brainstorming é um técnica comum, fácil de usar e efetiva. Mesmo assim, é importante seguir algumas orientações para ter um brainstorm melhor. Abaixo estão algumas dicas e também técnicas para quando parecer que há um “bloqueio” para novas ideias.

photo-1432927994002-af88b5da76a2
Brainstorm tem que ser assim.

Dicas para um bom brainstorm

  • Escolha um local apropriado
  • Tenha ferramentas para captura de ideias
  • Convide um grupo com diversidade (de pensamento, de cultura, de posicionamento etc)
  • Planeje para aproximadamente 45 minutos
  • Selecione um facilitador
  • Dê a todos as ferramentas para participar (papel, caneta, post-it etc)
  • Caminhe ideia a ideia (uma por uma)
  • Mantenha a motivação
  • Reveja as regras com todos (estão abaixo)

Regras para um bom brainstorm

  • Adie o julgamento. Não há ideias ruins em um brainstorm. Haverá tempo suficiente para filtrar as ideias depois;
  • Encoraje ideias malucas. Mesmo que pareça surreal, uma ideia maluca pode ajudar uma outra ideia em alguém, mais concreta;
  • Construa sobre as ideias dos outros. Quando ouvir uma ideia de alguém, pense “e se…” ao invés de “mas…” para gerar mais ideias e ser o mais aberto possível;
  • Mantenha o foco. Para extrair mais da sua sessão, mantenha suas perguntas “How might we” à vista;
  • Uma conversa de cada vez. Todas as ideias tem que ser ouvidas, então ouça enquanto o outro fala. Espere sua vez e aguarde até que todos estejam ouvindo;
  • Seja visual. Desenhe suas ideias, ao invés de só escrevê-las. Bonecos de palitinho e desenhos simples podem dizer mais que muitas palavras;
  • Pense em quantidade. Tenha uma meta estratosférica – e a ultrapasse. A melhor maneira de encontrar uma ótima ideia é ter várias ideias.
photo-1414759030024-7889df4b20f4
Quantidade. Quantidade. Quantidade.

Técnicas de desbloqueio

Muitas vezes ficamos “travados” após alguns minutos de geração de ideias. Para ajudar neste “desbloqueio” podemos usar algumas técnicas, que listo abaixo para futura referência.

Teletransporte

Imagine que você está em outro local ou outro tempo. Como seria o que você está pensando há 20 anos atrás? E em outro local, como a Antártica ou no meio da floresta?

Outrostorm

Como seriam estas ideias se fossem pensadas por uma celebridade, seu chefe ou um familiar, como a sua avó? Realmente se coloque no lugar da pessoa e pense como acha que ela pensaria. Você pode falar como ela, imitando sua voz, para parecer mais real e “entrar mais no clima”.

Mudança de atributos

Você não precisa se ver necessariamente como outra pessoa para ter novas ideias sobre um mesmo assunto. E se algumas características suas fossem diferentes? Se você fosse de outra raça, sexo ou tivesse outro peso corporal? Cada mudança pode ser uma chave para seu cérebro encontrar uma solução.

Superstorming

Se você tivesse superpoderes, quais ideias teria? Visão de raio X, regeneração, ser o Wolverine ou a Mulher Maravilha. Vale tudo. Até Ben 10. O melhor é que sejam superpoderes que você conhece.

Ao contrário

Pense no que deseja e, então, pense o que precisaria ter ou fazer para obter o contrário daquilo. Algo do tipo “Como seria uma maneira de não transportar bem sorvete em um pote?” ou “Como eu faria para pessoas não comprarem este produto?”.

Parece, mas não é

Pense em soluções, artefatos ou técnicas que são parecidas com o que você quer, mas não exatamente. Por exemplo, em um brainstorm sobre uma nova embalagem de sorvete, você pode pensar em outras embalagens, outros produtos que tem embalagem, sorvetes em outros contextos e até mesmo em transporte de gelo no geral.

Escreva aleatoriamente

Parece bobagem, mas funciona muito bem para escritores e pode funcionar pra você. Comece a escrever tudo o que te vêm à mente. Tudo mesmo, tipo “não sei o que escrever agora então vou escrever qualquer coisa somente para escrever e poder pensar em algo etc etc etc”. Experimente.

Mapa mental

Essa é clássica, mas às vezes esquecemos dela. Coloque a ideia no centro, e vá fazendo quantas conexões possíveis com conceitos que emergem à medida que pensa nela.

Fontes: Design Centrado no Ser Humano, e Inc.com
Fotos: Unsplash – Iren Petrova, Alessandro Pellacini Benassi